domingo, 28 de fevereiro de 2010

BUTTHOLE SURFERS (Alternative Tentacles)

Primeiro disco do Butthole Surfers, editado em 1983 pela Alternative Tentacles, de São Francisco. Um clássico do desequilíbrio mental!

"There's a time to fuck and a time to crave, but the Shah sleeps in Lee Harvey's Grave!"

sábado, 20 de fevereiro de 2010

LAUGHING HYENAS: MERRY GO ROUND (Touch & Go)

No ano de 1985, na pequena cidade de Ann Arbor, Michigan, o ex-vocalista do Negative Approach John Brannon, formou o Laughing Hyenas - um dos tratados mais radicais do underground americano dos anos 80. Revisitando o raw power dos Stooges e os desvarios do Birthday Party, Merry Go Round é um exemplar raríssimo do mais histérico noise rock. O grupo, hoje lastimavelmente obscurecido pelo tempo, durou mais ou menos uma década e dele surgiu já em meados dos anos 90 outro grupo do barulho, o Mule. Mas isso é uma história a ser contada numa outra ocasião...

SCREAMIN’ JAY HAWKINS: BLACK MUSIC FOR WHITE PEOPLE (Manifesto Records)

É num período como este, tomado por imediatismos e produções artísticas plastificadas, que nos damos conta da falta danada que faz um músico como Screamin' Jay Hawkins. Este Black Music For White People certamente não é o seu melhor trabalho, mas entrega tudo que de melhor se espera de um artista livre de amarras e concepções pop rastaqueras. Os destaques aqui vão para as boas regravações de "I Put Spell on You", "Old Man River", "Heart Attack and Vine" e "Ice Creem Man" - estas duas últimas pinçadas do repertório do Menino Tom Waits.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

EXPLODING STAR ORCHESTRA: WE ARE ALL FROM SOMEWHERE ELSE (2007)

A Exploding Star Orchestra é um coletivo de jazz mutante formado pelo trompetista Rob Mazurek e alguns dos maiores bam bam bans do avant-garde de Chicago. O grupo não tem uma formação definida, e nele transitam membros de outros notáveis grupos instrumentais de Chicago como Tortoise e The Eternals. Não entrarei no mérito de esmiuçar os detalhes técnicos, basta dizer que este primeiro álbum (o outro é um registro com o trompetista Bill Dixon) se configura como uma peça plena de entrega e vitalidade, capaz de arrepiar até o mais bronco dos ouvintes.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

LIQUOR GIANTS: HERE (1994)

No início dos anos 80, Ward Dotson substituiu Kid Congo Powers nas guitarras do lendário Gun Club, gravando em 1981, o antológico Fire of Love. O grupo, no entanto, sempre foi conhecido por sua instabilidade - em grande parte devido aos sérios problemas do vocalista Jeffrey Lee Pierce com álcool e drogas. Num belo dia, Dotson decidiu pular fora. Ao sair do Gun Club, chegou a dizer ter largado a banda por estar farto de tocar com gente metida em jaquetas de couro e que nunca sorri. Diante disso, dá pra entender porque grupos subseqüentes do guitarrista, como o Liquor Giants, soam tão "clean". Em Here, por exemplo, o que se ouve é o mais puro power pop. Confesso que quando ouvi isso pela primeira vez não aceitei muito bem a idéia. Você sabe, a velha ranhetice punk... Hoje acho uma maravilha. O radicalismo só atrapalha...

ROKY ERICKSON: THE EVIL ONE (Sympathy For The Record Industry)

Roky Erickson, o legendário líder dos 13th Floor Elevadors, é um ícone dos anos 60 que, apesar das inúmeras barras que passou, conseguiu sobreviver. Quem conhece sua história sabe que o homem teve de lidar com problemas mentais durante boa parte de sua vida. Após um longo período de internamento no Rusk State Hospital for the Criminally Insane, Erickson tentou reconstruir sua vida e carreira na segunda metade dos anos 70. As dificuldades, é claro, foram muitas, mas Roky conseguiu lidar com a situação fazendo o que sempre fez de melhor: música sublime. Dentre as tantas compilações de Erickson já lançadas, esta em álbum duplo, idealizada pela Sympathy For The Record Industry, é uma das melhores e mais completas. Um documento preciosíssimo da obra de uma das mais fascinantes personalidades da história do rock.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

VICTIMS FAMILY: THE GERM (1992)

Se você nunca ouviu o Victims Family - uma das mais instigantes e obscuras bandas da Alternative Tentacles -, eis a chance de dar um check it out num de seus mais representativos trabalhos. The Germ é puro exercício de liberdade musical e ousadia. O som do grupo é uma criativa e inteligente combinação de hardcore, punk, jazz, funk, hard rock e noisy. Se você curte bandas como Cows, Dead Kennedys, Alice Donut e NoMeansNo, ou seja, bandas tortas, amalucadas e fora dos padrões, o Victims Family tem boas chances de te fazer um pouquinho mais feliz.