segunda-feira, 15 de junho de 2009

ROB K & UNCLE BUTCHER ARE THE JAM MESSENGERS!

By Mamma Vendetta
Rob K e Uncle Butcher estão em uma missão: nada menos do que ressucitar a tão sofrida carcaça do rock’n’roll, um gênero que já inspirou gerações. Pois bem, quando Marco Butcher soou o alarme, Rob K tratou de por os pés fora de sua pseudo-aposentadoria para cair novamente na estrada, entregando ao mundo The Message of the Jam. Com mais de seis décadas, se somadas as experiências musicais de Rob e Marco - que nasceram bons vivants no topo da cadeia dos showmen e entertainers -, ambos trazem uma presença de palco única. Marco faz o papel de onemanband nos brindando com sua perfeição poli-rítmica, enquanto Rob toma conta de todo o palco e platéia, fazendo de salas, clubes e festivais uma grande mistura de yoga, pregação do blues e rock’n’roll no sentido literal da palavra. Os dois levaram o trash blues a um novo nível, que poderia ser chamado de trash’n’glam.

O duo já contava com um primeiro disco, gravado pela internet, antes mesmo da banda fazer turnês e se apresentarem pelo mundo inteiro. A mágica sempre esteve ali, cruzando espaço e tempo. Tudo isso fez parte do processo de aprender algo profundo sobre parcerias intercontinentais e cooperação. Eles aprenderam que a jam transcende a geografia e até mesmo a língua e que a espontaneidade e o saber aproveitar o momento sempre triunfarão quando o assunto é interação na música. Rob e Marco decidiram partilhar isso internacionalmente e, ao que me parece, a mensagem da Jam continua se espalhando pelo mundo inteiro.

A história de Rob K começa no meio dos anos 70, quando sua banda The Chumps trouxe ao mundo, em 1976, o que seria chamado anos mais tarde de hardcore. Tudo isso aconteceu em Washington DC, EUA, nos áureos tempos da cena punk. Rob com certeza ajudou a definir o sentido da palavra anarquismo dentro da cena punk rock. Alguns anos mais tarde, Rob se muda para Nova York formando os Workdogs, tendo Scott Jarvis nas baquetas.

Os Workdogs eram um duo que estava sempre experimentando diferentes músicos da cena novaiorquina trazendo guitarras, sax, pianos e todo tipo de instrumento que seria considerado pertinente à música da banda. Uma lista de nomes notáveis daquela cena participaram dos shows e gravações de discos do duo: Jon Spencer, Popa Chubby, Ivan Julian, Kid Congo Powers, Marce Hall, Lydia Lunch, Moe Tucker (Velvet Underground), entre outros nomes da enorme lista que passou por ali. Podemos dizer que, nesse processo, os Workdogs inventaram o trash blues ao melhor estilo novaiorquino. Tiveram seus discos lançados pela In the Red, e Sympathy for the Records Industry, lançamentos esses que são verdadeiros tesouros para o Mercado de colecionadores de discos.
Marco Butcher cresceu na cena sul-americana de rock’n’roll. Aos 12 anos, começou a tocar bateria profissionalmente e aos 20 já havia trazido ao mundo bandas bastante populares, antes mesmo de criar os Thee Butchers Orchestra que acabaram por colocar o seu nome no hall de artistas internacionais mais respeitados, com várias turnês européias realizadas, álbuns lançados por selos como Voodoo Rhythm, da Suiça e Estrus Records, US. Com produções em parceria com Dan Kroha (The Gories, Demolition Doll Rods) e Tim Kerr (Big Boys, Poison Thirteen, Lord High Fixers, Now Time Delegation) pode se dizer que além de músico talentoso, Marco Butcher também faz parte da cena de produtores musicais internacionais.Tendo a Jam como fio condutor, Rob e Marco criaram conexões com músicos de todo o mundo na missão de se juntar para manter a música viva. Após um primeiro disco, 24 Hour Songs, gravado pela internet, o duo se juntou para a gravação de um segundo álbum que leva o nome de The Message of the Jam, produzido no Estúdio Caffeine em São Paulo, sob as batutas de Luis Tissot e Renato Guimenez. O álbum foi sucesso na Europa e levou a dupla a uma extensa turnê promocional por todo o velho continente.O novo álbum, Dictionary of Cool, coloca a música sexy e insana do duo em um nível ainda mais alto de experimentação, trazendo a soul music, o jazz, o blues, o garage rock e o white noise novaiorquino na sua mais pura essência, 100% demente e insano como só esse duo pode ser. Dictionary of Cool funciona como um remédio regenerativo e poderoso do rock’n’roll e mais uma vez prova por A+B, o poder da Jam, levando ao limite definições e provando que não existem regras dentro da música rock.Você pode encontrar esses dois gritadores do blues pondo em chamas palcos ao redor do mundo em uma luta de amor e crimes, que resulta em uma expansão dos sentidos. Rob e Marco, ou The Jam Messengers, como costumam se auto denominar, estarão excursionando exaustivamente em 2009 com datas no Brasil, Inglaterra, Portugal, Escócia, Suécia, França, Itália, Bélgica, Alemanha, Holanda e Praga.