segunda-feira, 25 de maio de 2009

CHAPPAQUA: ALMAS ENTORPECIDAS

Por Luís Gustavo
"Meu nome é Russel Harwick. Começo este diário como um registro de minhas experiências enquanto sofria de alcoolismo. Comecei a beber de forma moderada aos 14 anos nas férias com os amigos. Aos 15 sofria de delirium tremens. Aos 19, descobri que maconha, haxixe, cocaína ou heroína afastavam-me do álcool por um período. Meu padrão se tornou um aterrorizante labirinto de álcool e de drogas. Finalmente fui introduzido aos alucinógenos: peyote, psilocibina e LSD 25". Assim começa o longa "Chappaqua", clássico da porra-louquice sessentista, produzido, dirigido e estrelado pelo maluquete Conrad Rooks, que conta aqui a sua própria história na pele do personagem Russel Harwick. Chappaqua é o mais próximo que o cinema chegou de uma bad trip. A história aqui é o de menos. Se você estiver à procura de linearidade, começo-meio-fim, melhor nem assistir. O filme de Rooks é todo ele uma viagem alucinatória, onde todas aquelas invencionices e clichês do cinema underground dos sixties dão as caras. As experimentações de Rooks e sua equipe de filmagem, na verdade, parecem querer apenas criar uma representação dos delírios do personagem central. É interessante notar também que, já nesta época, Chappaqua demonstrava uma visão pouco romântica das viagens lisérgicas, indo exatamente contra o discurso de gente como Timothy Leary e Ken Kesey.

O filme ainda impressiona, mas o que faz de Chappaqua uma obra que merece ser vista ainda hoje, é sua representação como registro de uma época, onde podemos constatar que dificilmente veremos algo tão louco sendo feito hoje em dia. Outra curiosidade é o notável cast da fita. Conrad Rooks não economizou na hora de convocar a nata da contracultura da época: os escritores beat William S. Burroughs e Allen Ginsberg, o jazzista Ornette Coleman, o guru espiritual Swami Satchidananda, o poeta e músico nova-iorquino Moondog e a banda de garagem The Fugs.

Abaixo, o link com o filme completo e legendado para download, e um trecho do mesmo com uma performance memorável dos loucaços The Fugs!

Link: Chappaqua: Almas Entorpecidas (1966)