sábado, 1 de novembro de 2008

BOSS HOG: GIRL + (Amphetamine Reptile)

Por Luís Gustavo
O Pussy Galore, uma das bandas mais barulhentas que o circuito alternativo nova iorquino já produziu, encerrou suas atividades em 1990. Mas não sem antes espalhar suas sementes do mal para continuar seu legado de terror e desgraça. Sim, porque do sêmen do Pussy Galore, foram geradas três novas crias: o Royal Trux (do guitarrista Neil Michael Hagerty), a Jon Spencer Blues Explosion (do menino Jon Spencer, naturalmente) e o Boss Hog (da maravilhosa Cristina Martinez e de seu então companheiro Jon Spencer).

Além dos dois ex-Pussy, o Boss Hog contava ainda com elementos do Unsane e dos Honeymoon Killers. Girl Positive é um mini-álbum que eles gravaram pela Amphetamine Reptile em 1993 e, Como fica bem evidente aqui, esse bando tinha como principal proposito desconstruir as estruturas mais tradicionais do blues e do jazz, ao investirem uma gana fudida num drive maníaco de guitarras corrosivas e sujas pra cacete. Very fucking cool!