segunda-feira, 20 de outubro de 2008

FANG: LANDSHARK/WHERE THE WILD THINGS ARE (1982-1983)

Por Luís Gustavo
Mais um clássico da podreira com o carimbo de ok do Polimorfismo Perverso! Aqui estão reunidos os dois primeiros discos de um dos mais cultuados e seminais grupos do punk americano dos anos 80 num único CD. Em Landshark (1982) e Where The Wild Things Are (1983), o grupo californiano Fang – Sam McBride (vocais), Tom Flynn (guitarra), Chris Wilson (baixo) e Tim Stiletto (bateria) – deu a saída (assim como outros importantes nomes do punk americano como The Germs, Black Flag, Wipers etc), para muito do que foi feito mais adiante no alternative rock dos anos 90. Canções como “The Money Will Roll Right In”, “Suck And Fuck” e “Everybody Make Me Barf”, são bons exemplos disso.

Formada no início dos anos 80, em Berkeley, na Califórnia, a banda, como qualquer grupo punk que surgisse naquelas paragens, inevitavelmente assumiria uma postura antagônica em relação àquele ambiente pseudo-intelectual e repleto de bichos-grilo, com um som áspero, rude e básico, cuspindo insultos e sarcasmo sob influências explicitas de outros grupos do passado, também compostos por “pessoas do bem” como Stooges e Dead Boys.



O Fang acabou em 1989, quando finalmente a banda entrou em colapso num espiral decadente de drogas e eterna falta de grana. Depois disso, mais um fato lastimável a ser acrescentado à biografia do grupo aconteceu: o vocalista Sammy foi preso por matar a sua namorada (e traficante) por estrangulamento (!). Tragédias à parte, ouça esse disco e perceba como certas coisas simplesmente não envelhecem.